Acidente com carros autônomos: quem recebe as penas da lei?

Acidente com carros autônomos: quem recebe as penas da lei?

outubro 29, 2020 0 Por carolcfuenmayor

Com o desenvolvimento da tecnologia, é comum que cada vez mais objetos e automóveis terem uma autonomia quase que completa. E com isso, a preocupação com a segurança e leis começam a levar a preocupação.

Em casos de falhas na segurança, no controle em algum erro operacional por causa de um algoritmo ou falha de comunicação com módulo. Quem se responsabiliza por essas falhas?

O questionamento fica, será que é da empresa que produziu? Será que era do condutor que não estava atento para impedir o veículo em seu percurso? Como funciona esses termos nessas situações?

Na justiça americana, chegou na justiça uma situação envolvendo morte por causa desses veículos autônomos. Foi um caso que precisa ser analisado com muita cautela e atenção.

Momento do Acidente

Esse fato aconteceu envolvendo um veículo da Volto, sendo os testes realizados pela Uber, estava no comando do veículo uma motorista que tinha a responsabilidade de agir caso acontecesse algo que fosse perigoso. Entretanto, não tomou atitudes necessárias e foi indiciada.

O ocorrido foi no ano de 2018, na cidade do Arizona, quando uma pessoa estava atravessando a rua fora da faixa de pedestre. O veículo acabou atingindo-a e levando a óbito.

A condutora de veículo foi acusada de homicídio culposo, quando não há a intenção de matar. Foi analisado câmeras internas do veículo para apurar o caso.

Nas filmagens é possível ver a motorista, até alguns momentos de acontecer o acidente, que a atenção dela estava entre olhar para a estrada e em outros momentos olhava para o colo, e ficou nesse ciclo de atenção.

O que pode notar é que a motorista estava assistindo um programa de TV alguns minutos antes do carro colidir com o pedestre que estava atravessando a rua.

De primeiro momento, a motorista afirmou que não estaria mexendo em nenhum aparelho que estivesse dispensando sua atenção enquanto estava no controle do volante. Entretanto, a empresa Hulu, que pertence a Disney, responsável por oferecer serviços de vídeo, mostrou a polícia que sim, ela estava desviando sua atenção para outro dispositivo que não fosse o volante.

Foi possível analisar que ela assistindo um entretenimento e só voltou a se concentrar na direção apenas alguns instantes antes do carro provocar o acidente.

Falhas na Segurança

Toda a verificação e análise do caso conseguiu descobrir também com a ajuda da inteligência de direção autônoma, existia algumas falhas de segurança.

Também havia deficits na parte de reagir de forma eficaz as pessoas que estivessem atravessando fora do local de segurança da faixa. E por causa desses motivos, o programa não conseguiu ativar o sistema de freio a tempo de impedir que o veículo evitasse a colisão.

Um argumento que deve ser pensado é que o motorista deve estar atento as falhas de segurança que o carro pode ter, estar prestando atenção para que consiga reagir a tempo a qualquer imprevisto.

Vendo por esse lado, a justiça inocentou a Uber pela culpa, porém, está nos registros que empresa tinha processos de seguranças que não eram eficazes.

A Uber depois desse episódio passou a analisar melhor seu processo de testes. Os testes começaram a ter dois motoristas em cada carro para que verifiquem todos os requisitos.

O tempo de trabalho é de 4 horas cada um para que não sobrecarregue nenhum dos dois. Também foi acrescentado um sistema para gerenciar a segurança, para que os problemas que foram relatados pela justiça fosse solucionado.

Claro que estamos ansiosos para que essa tecnologia esteja logo acessível a todos os clientes e seja algo comum em nosso dia a dia. Com certeza com o tempo e com o grande avanço da tecnologia, os veículos ficarão cada dia mais seguros.

Esse fato trágico é um dos fatores que acaba causando lentidão na criação de veículos autônomos. Seja qual for a decisão legal sobre o caso, esse tipo de preocupação ainda há um longo percurso para percorrer até se ter uma segurança de alto nível.

Vamos acompanhar em como será daqui para frente. Quais serão as próximas novidades e quais tecnologias que serão desenvolvidas.