Existe risco de invasão de informação no Brasil por meio do 5G?

Existe risco de invasão de informação no Brasil por meio do 5G?

dezembro 25, 2020 0 By carolcfuenmayor

A Huawei vem sido acusada por alguns países como EUA de usar seus equipamentos para espionar outros países e passar as informações para o governo chinês.

Ainda há muito o que de descobrir sobre até que pontos as informações são verdades ou não, ou se apenas se trata de um jogo político. Enquanto isso, a implantação do 5G está causando polêmica.

Essa tecnologia é um ponto que EUA e China disputam e possuem uma grande rivalidade. Gera uma disputa para quem vai estar incluso nesse novo mercado.

A Huawei é líder mundial no fornecimento de equipamentos de telecomunicações desde 1987. No ano de 2017, perdendo apenas para a Lenovo, segundo o ranking BranZ, marca chinesa com a maior presença no território global.

Há grande influência sob o Brasil para que ele não aceite a presença dessa empresa. Baseando-se em argumentos de segurança nacional, os Estados Unidos, pressionam para que ela não esteja inclusa no megaleilão que está acontecer no ano de 2021. Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, tudo indica que será o maior em toda face global.

O que dizem os embaixadores do Brasil?

Todd Chapman, embaixador americano no Brasil, fez uma análise no mei odo ano e menciona que pode ter efeitos negativos caso a empresa de telecomunicações permaneça em solo brasileiro.

A economia pode sofrer prejuízos, pois, indústrias podem romper contratos de investimentos no Brasil por meio de que a empresa Chinesa pudesse espionar ou roubar informações de peso nacional.

Claro que um país possuem muitos fatores valiosos. Um desses são os dados virtuais e analítico que cada país tem. Quando outro país tem acesso, ele pode facilmente usar essas informações para explorar fraquezas ou roubar ideias e desenvolver projetos antes de todos.

O que a China tem a se pronunciar sobre esse caso?

A China nega qualquer acusação que está usando os equipamentos para espionagem. Essa tática dos Estados Unidos é uma forma de prejudicar o crescimento tecnológico.

Representantes da China no Brasil alegam que essa atitude também é para fazer que as pessoas do mundo inteiro sintam medo em adquirir o produto e se sintam ameaçados de terem suas informações roubadas.

É com certeza, um fator muito complexo de se analisar. Duas enormes potências mundiais, com um assunto em comum na tecnologia, mas com visões totalmente opostas.

Por isso, toda atitude que o Brasil tomar pode sofrer enormes consequências positivas ou negativas, talvez de forma irreversível.

Yang Wanming, embaixador chinês no Brasil menciona que esse leilão fará indústrias chinesas analisarem como é o comportamento do país em relação ao 5G.

Como analisar então algo tão polêmico e complexo em pleno cenário tecnológico mundial?

Um artigo produzido pela BBC News Brasil junto com a Eurasia Clarise Brown  revela pontos a serem analisados em relação ao futuro das telecomunicações no Brasil.

Nesse artigo, menciona que em relação a cibersegurança a nova tecnologia pode deixar países expostos a riscos.

Para que seja possível entender o porquê desse conceito, é preciso saber o que realmente o 5G representa. Não é uma forma mais rápido de se comunicar ou apenas uma frequência diferente da 4G.

Essa tecnologia revoluciona uma área de outras tecnologia a um novo patamar de estudos e de transformação da sociedade Como criação de carros inteligentes.

Essa nova forma de transmitir dados possui redes específicas que são necessárias estruturas físicas, cabos de fibra óptica e data centers.

A crescente onda de informações que é processada a nível mundial e como a sociedade está viciada e dependente na tecnologia, faz cidades e empresas abrirem espaços para ciberataques.

Tudo vai depender de como é analisado a parte da segurança virtual. Paises como Reino Unido e Alemanha deixam seus sistemas de monitoramento ativo em busca de qualquer sinal de espionagem.

Algo que se deve ser levado em consideração é o relatório emitido pela National Cyber Security Centre (NCSC) que analisou e encontrou falhas em seus equipamentos e que a empresa ainda não tinha feito as devidas correções.

Diferente de outros países, o Brasil não possui recursos para fazer um auto investimento em sistemas de rastreamento, ainda mais no momento tão complicado que vive por causa da pandemia.

Como o Brasil é influenciado nessa questão?

A empresa chinesa está em território brasileiro a duas décadas, fabricando antenas e equipamentos de tecnologia. Tirar essa gigante empresa pode fazer com o que essa tecnologia demore para atingir grande escala nacional.

Além disso, os Estados Unidos também estão querendo recompensar financeiramente países que não aceitaram mais trabalhar com a fornecedora chinesa. Quando se fala de investimento financeiro, muita coisa pode mudar.

É essas questões que precisam ser analisados. Os custos para investir em uma nova empresa, a remoção da empresa do país, como ficará a população com essa mudança e se o investimento será algo compensatório.

O banco americano Development Finance Corporation (DFC) tem disponível 60 bilhões de dólares para financiar justamente os países que propuseram a tomar essa iniciativa.