Pixel 6 usa chip feito pela Google

Pixel 6 usa chip feito pela Google

outubro 27, 2021 0 By zaynabsettimi

Você já conhece o Pixel, da Google? É um projeto em que a própria desenvolvedora do Android desenvolve um dispositivo também. É como um herdeiro do projeto Nexus, em que a Google desenvolvia um telefone em conjunto com alguma outra empresa.

No Pixel, a Google é responsável por desenvolver o hardware do telefone ao mesmo tempo que também desenvolve o sistema operacional que irá rodar nele. Por conta disso, é mais provável que o Android rode sem grandes problemas no dispositivo.

Além disso, o dispositivo recebe atualizações de sistema mais rápidas em por mais tempo. Isso ocorre porque muitas vezes os dispositivos de outras empresas têm que adaptar o sistema operacional para rodar no celular. No caso do Pixel, o Android já é desenvolvido especificamente para ele.

Para as pessoas mais interessadas em acompanhar o mundo de tecnologia, acompanhar os lançamentos do Pixel é uma excelente forma de saber quais os próximos passos em desenvolvimento no Android, assim como no desenvolvimento de hardware.

Pixel 6

O Pixel 6 foi anunciado recentemente. Ele apresenta um design inovador, especialmente na parte traseira.

Todos os dispositivos Pixel 6 têm duas cores na parte traseira (branco e prata; preto e cinza, entre outras opções). Essas cores são separadas por uma barra lateral em preto, que serve de suporte para as câmeras (São duas na versão Pixel 6 e três na versão Pixel 6 pro).

Mas as inovações do Pixel 6 não param só no design. Na verdade, uma das maiores e mais relevantes inovações que a Google fez neste smartphone tem a ver com o chip de processamento.

Google Tensor

Pela primeira vez, a Google desenvolveu seu próprio chip para um de seus dispositivos. Até então os aparelhos Pixel utilizavam os chips produzidos pela Snapdragon. A partir da sexta versão do Google Pixel, a Google irá seguir o que já é feito por empresas como a Apple em seus iPhones e iPads.

O chip, chamado Google Tensor, foi desenvolvido, segundo rumores, em parceria com a Samsung, sendo baseado nos chips da família Samsung Exynos. Ele apresenta dois núcleos de alto desempenho “Cortex-X1”, dois núcleos do tipo “Cortex-A76” e quatro “Cortex A55”. Essa combinação permite uma maior eficiência energética, tendo equilíbrio entre economia e poder.

O Google Tensor chega para substituir a família Snapdragon, utilizada no Pixels anteriores, e promete uma experiência muito mais integrada. Seu foco principal é o desenvolvimento de inteligência artificial e aprendizado de máquina. Com ele, as funções de processamento de imagem e funções como digitar por voz, transcrever ligações e fazer comandos avançados com a Assistente do Google.

Os avanços em processamento permitem que o Tensor decodifique vídeos no formato AV1 em até 4K a 60 FPS, HEVC em até 120 FPS ou até mesmo HEVC de 8K em 60 FPS.

Com todas essas características, o chip Google Tensor é um grande avanço no desenvolvimento de tecnologia de processamento, especialmente na família Google Pixel. Apesar de que o foco da Google ao lançar o Pixel seja a exposição do Android, mais do que o desenvolvimento de hardware, o Google Tensor representa um aumento nas possibilidades do processamento.

A experiência dos usuários de Android com certeza será modificada com mais esse avanço.