Veja como robôs fazem você gastar mais em épocas de compras

Veja como robôs fazem você gastar mais em épocas de compras

dezembro 16, 2020 0 Por carolcfuenmayor

Existem softwares capazes de verificar vários sites de compra com a intenção de achar ofertas e preços baixos para os consumidores. Épocas como Natal, Black Friday e Ano novo, por exemplo, é o momento que mais estão frequente no mundo virtual.

Novidades como o novo PlayStation 5, iPhone 12, Tvs se OLED, por exemplo, com certeza terá uma grande variedade de robôs fazendo de tudo para achar um meio de ter lucros por meio de preços baixo nessas épocas, onde a maioria dos produtos estão com desconto.

Também são bots, são ferramentas que trabalham constantemente no mundo do comércio online. Porém, com as grandes mudanças que veio com a pandemia, as compras online estão se destacando e com certeza, a concorrência está cada vez maior.

Como é o funcionamento dos bots?

Existem vários tipos de robôs, os robôs dos varejo ficam correndo atrás de sites de comércio no mundo inteiro para que no momento real que o produto for colocado a venda, ele saiba.

Com isso, passa a informações para os administrados para que possam atender o grande quantidade de consumidores que tem o mesmo objetivo de encontrar preços baixos.

A codificação de alguns desses bots podem até comprar produtos sozinhos, com muito mais agilidade que qualquer ser humano.

Isso é apenas o começo de tudo, menciona Thomas Platt, da empresa de gerenciamento de robôs Netacea. Eles são capaz de acabar com todo o estoque, desde simples bijuterias até eletrônicos de última geração.

Se formos pensar no objetivo de todos os donos de loja, que é vender, pouco importa se é um cliente ‘real’ ou um robô. Mas, por outro lado, se poucos dos seus clientes reais conseguirem comprar, a maioria vai procurar outro lugar para comprar.

Como é que os robôs consegue comprar?

Alguns robôs recebem o nome de “sniping”, pois são semelhantes aos atiradores de elite em sua função. Eles são responsáveis por enviar notificações ao usuários quando há um item disponível no estoque. Com isso o dono do robô, irá comprar antes de qualquer pessoa.

Porém, há os bots que são muito mais avançados, eles consegue além de verificar a disponibilidade do produto, como também comparar e fazer a compra do mais barato. Esse tipo de robô se encontra em sua maioria no mercado de tênis de edição limitada.

Esse tipo de produto tem sido um alvo fácil e de grande interesse nesses últimos anos. Com uma grande multidão aguardando do lado de fora para adquirir, ou a prontidão dos usuários online aguardando o lançamento sendo grande, fez com que esses robôs fossem criados e estão sendo utilizados também em outras ocasiões.

Há grupos de desenvolvedores e donos de robôs que conversam em aplicativos privados para que seja planejado as estratégias de compra. O que cada um vai estocar, qual vai ser o cronograma e as principais lojas de venda.

Platt diz que conhece um exemplo extremo em que um grupo alugou um servidor localizado fisicamente mais perto do servidor do site que estavam de olho, dando a eles uma vantagem de frações de segundo no tempo que leva para o tráfego da internet ocorrer.

Esse mercado tem sido muito lucrativo para todas as pessoas. O gigante mercado de revenda de tênis tem o seu valor estimado a US$ 2 bilhões e cresce 20% ao ano, segundo a consultoria americana Cowen.

Qual é o impacto disso em datas comemorativas?

Em épocas como Natal, Ano Novo, Dias da Mães, Blackfriday, aumenta muito a procura por itens, ainda mais se tiver um bom desconto envolvido.

E como já é de costume mundial do mercado, comprar produtos quando o valor está baixo e vender quando está alto, os bots ajudam muito a fazer isso de forma automatizada.

Há uma grande expectativa no aumento desses robôs em torno das principais épocas de vendas, sendo possível levar a preços mais em conta em alguns casos.

Os robôs denominados “raspagem”, são os que simplesmente verificam os preços, porém, não fazem nada além disso. Esse tipo de programa é usado pelos próprios comerciantes.

Eles usam para que seja possível analisar os preços dos principais concorrentes e garantir que não vão perder venda pro causa do preço. Com isso conseguem montar uma estratégia melhor de vendas.

Isso é na verdade um problema?

Em alguns países, como o Reino Unido, não se pode usar robôs para vender ingressos, porém em outras partes do varejo não há problema nenhum perante a lei.

Tanto para os varejistas quanto para os que fabricam desses programas, é algo que divide opiniões em várias partes do mundo. Por isso, é muito difícil de poder avaliar com coerência sobre a legalidade desse ato.

Alguns sites estão montando estratégias para tentar fugir desses robôs. Um exemplo disso é o site Currys PC World. Quando foi colocar o PlayStation 5 e o Xbox Series X a venda, aumentou em 2 mil libras. Com isso, conseguiu enganar os programas, pois os usuários reais que estavam com pré-encomenda recebeu um cupom com o desconto de 2 mil libras que tinha que ser colocado manualmente.